18 de março de 2009

Som: funcionamento do ouvido

Este vídeo (encontrado aqui) mostra a forma como a propagação da onda de pressão, a que chamamos som, é captada pelos nossos ouvidos e transmitida ao longo do ouvido médio e interno até serem codificadas em impulsos eléctricos que viajam pelo nervo auditivo até ao cérebro. Aí ocorre a descodificação pelo extraordinário “hardware” e “software” que constitui o nosso cérebro. Já aqui publiquei um vídeo sobre este tema.

Aqui fica mais alguma informação sobre a anatomia do ouvido e o seu funcionamento.

“À medida que o som se propaga através do ouvido externo, o som ainda está na forma de uma onda de pressão, que é um sequência alternada de regiões de pressões mais baixas e mais altas. Somente quando o som alcança o tímpano, na separação do ouvido externo e médio, a energia da onda é convertida em vibrações na estrutura óssea do ouvido.” Fonte

ouvido60

Legenda da imagem (encontrada aqui): 1) Canal auditivo 2) Tímpano 3) Martelo 4) Bigorna 5) Estribo 6) Janela oval 7) Trompa de Eustáquio 8) Cóclea 9) Nervo auditivo.

O ouvido médio contém três pequenos ossos conhecidos como ossículos: martelo, bigorna e estribo. (…) Os ossículos convertem mecanicamente as vibrações do tímpano em ondas de pressão que são amplificadas no fluido da cóclea (ou ouvido interno). O tímpano é fundido com o martelo, que conecta com a bigorna, que por fim conecta com o estribo. Vibrações do estribo introduzem ondas de pressão no ouvido interno. Os ossículos auditivos também podem reduzir a pressão sonora (o ouvido interno é muito sensível à estimulação exagerada), desconectando-se com certos músculos.Fonte

Os 3 pequenos ossos do ouvido médio agem como amplificadores das vibrações da onda sonora. Devido à vantagem mecânica, os deslocamentos da bigorna são maiores do que a do martelo. Além disso, como a onda de pressão que atinge uma grande área do tímpano é concentrada numa área menor na bigorna, a força da bigorna vibrante é aproximadamente 15 vezes maior do que aquela do tímpano. Esta característica aumenta nossa possibilidade de ouvir o mais fraco dos sons.Fonte

O ouvido interno consiste de uma cóclea, canais semicirculares, e do nervo auditivo. A cóclea e os canais semicirculares estão cheios de um líquido que, juntamente com as células nervosas dos canais semicirculares, não têm função na audição; servem apenas como acelerómetros para detectar movimentos acelerados e na manutenção do equilíbrio do corpo. A cóclea é um órgão em forma de caracol. Além de estar cheio de um fluido, a superfície interna da cóclea está alinhada com cerca de 20.000 células nervosas que realizam as funções mais críticas na nossa capacidade de ouvir. Estas células nervosas possuem comprimentos diferentes, por diferenças minúsculas. Quando a onda de pressão passa por estas células nervosas em forma de cabelos, estas entram em movimento. Cada célula capilar possui uma sensibilidade natural a uma frequência de vibração particular. Quando a frequência da onda de pressão iguala a frequência natural da célula nervosa, a célula irá vibrar com uma grande amplitude, que induz a célula a libertar um impulso eléctrico que passa ao longo do nervo auditivo para o cérebro. Fonte

Agora que ficou a saber como funcionam os nossos ouvidos, cuide bem deles. Brevemente colocarei aqui mais sobre este assunto.

Feed
Gostou? Assine o Feed ou receba os artigos por email

2 comentários:

Maria Tereza Stancioli disse...

Professor Rui,

Gostei muito de seu blog. É muito rico em conteúdo. Tomei a liberdade de indicá-lo no meu blog, pois sei que será muito útil ao meu público.

Meu nome é Maria Tereza Stancioli e assino o blog WWWPesquisa: http://www.dzai.com.br/terezast/blog/wwwpesquisa que aborda a pesquisa na Internet com foco nas pesquisas escolares. Dá uma chegada lá. E pode comentar. Um abraço.

Rui Barqueiro disse...

Olá Tereza!

Obrigado pelo seu comentário. Agradeço a recomendação e passarei pelo seu.

Abraço.

Enviar um comentário

1) Identifique-se.
2) Seja respeitoso e cordial.
3) São bem-vindas críticas construtivas e correcções.
4) Leia primeiro os comentários anteriores.

Feed Assine o Feed ou receba os artigos por email.

Estão atentos a este blogue....