31 de janeiro de 2010

Fluxo magnético e corrente eléctrica induzida

Nesta demonstração produzida pelo MIT TechTV, uma bobina é ligada a um rádio e outra é ligada a um altifalante. As duas bobinas não estão ligadas entre si.

O sinal do rádio é transmitido através do campo magnético induzido criado pela corrente nas espiras da bobina da esquerda. Este sinal é apenas recebido quando existe fluxo magnético através da bobina da direita e, portanto, nenhum som é ouvido quando as bobinas estão posicionadas perpendicularmente entre si.

É também possível observar que a aproximação das duas bobinas conduz a um aumento da intensidade do som pois é maior a força electromotriz induzida (e consequente corrente eléctrica induzida) devido ao aumento do fluxo magnético na bobina da direita. Fonte.

Estudo da reflexão e refracção com o auxílio de animações

Estas duas animações interactivas são bastante úteis para o estudo dos fenómenos da reflexão e refracção.

  • Reflexão

 

  • Refracção

Aplicação da Lei de Snell, também conhecida por Snell-Descartes ou lei da refracção, pode ser enunciada de várias formas.

20aa1e3d192ecb3164ac4f2095c86cd3[3] 855b336741150b679007dd522db12eef[1] 8ea889848aea5ef778754e6623b75c64[1]

 

Na animação anterior ao clicar em Outro tem a opção de inverter o sentido da luz incidente e, dessa forma, estudar o fenómeno de reflexão total.

Mais animações úteis em vários campos da Física podem ser encontradas aqui.

Spirit encontra-se irremediavelmente preso nas areias de Marte

Há aproximadamente um ano publiquei aqui o post Spirit e Opportunity: Os dois robôs geólogos da NASA fazem hoje cinco anos a trabalhar em Marte. Grande eficiência!.

A única roda livre do Spirit não funciona. As outras 5 estão enterradas nas areias de Marte. Agora o Spirit encontra-se irremediavelmente preso nas areias de Marte, ficando com o estatuto de plataforma estacionária de pesquisa. 

Parado Desde Maio do ano passado que o robô da NASA Spirit está preso numa zona de solo esponjoso de Marte e, desde então, o centro de controlo da missão tem tentado libertá-lo, mas sem sucesso. Mais de meio ano depois, a NASA rendeu-se à imobilidade do Spirit e já anunciou que, seis anos depois de aquela sonda móvel ter aterrado em Marte (onde já percorreu um longo caminho), o robô passa à condição de estação científica fixa.

"O Spirit encontrou o que se pode chamar o pesadelo dos golfistas, a armadilha da areia. Não importa quantas tacadas se dê, não se consegue sair de lá", explicou Doug McCuistion, director do programa de exploração de Marte da NASA, citado pela BBC News, sublinhando que o Spirit "continuará, no entanto, a dar o seu contributo para a ciência".

Encalhado na areia de Marte, o robô está a ser controlado a partir de Terra para optimizar a utilização dos seus painéis solares, na posição em que está.

A partir de Abril, no entanto, com a chegada do Inverno marciano, o Spirit deverá entrar em modo de hibernação, já que a radiação solar que nessa altura chega à superfície do planeta não será suficiente para operar o robô. Se tudo correr como o esperado, só a partir de Agosto o Spirit voltará a receber a radiação solar suficiente para funcionar em pleno.

Há seis anos no Planeta Vermelho, aquela sonda registou e enviou para a Terra milhares de imagens e descobriu provas da existência de água no passado do planeta. A partir de agora colherá dados no mesmo local. Fonte: DN

Ler mais nos seguintes links:

Também esta semana no xkcd:

spirit[1]

29 de janeiro de 2010

Explore os limites do Universo ao longo de 63 ordens de grandeza

Publiquei há tempos no post Dimensão relativa de células, bactérias, vírus, moléculas e átomos uma animação que mostrava a dimensão relativa de células, bactérias, vírus, moléculas e átomos.

Agora deparei-me aqui com uma outra animação que leva este exercício ainda mais longe. Com ela podemos ir desde os limites do Universo conhecido (1027 m) até ao comprimento de Planck (10-35 m), a menor dimensão com significado físico. Pode aceder à animação aqui ou directamente no sítio original. São cerca de 3MB, mas vale bem a pena. O autor, Fotoshop, está de parabéns.

Size_universe (Small)

Size_Human (Small)

Size_Plank (Small)

A grande farsa do aquecimento global

The great global warming swindle, que em português poderá ser traduzido como A grande farsa do aquecimento global, é um documentário muito interessante e que contradiz os “factos” apresentados no documentário Uma verdade inconveniente, que retrata a cruzada de Al Gore com o objectivo de tornar a questão do aquecimento global um problema reconhecido a nível global.

Vi-o pouco após a sua emissão pelo Channel4 britânico, em 2007, e há muito que estou para o divulgar no Átomo e meio, pois considero que o “Uma verdade inconveniente” tem a tendência para ser seguido acriticamente por muitos. Tem servido para formatar muitos jovens (e não só) no sentido do chamado aquecimento global ser provocado pelo CO2 antropogénico (produzido por intervenção humana).

Claro que o clima varia, sempre variou e sempre assim sucederá. As teorias também vão mudando, assim que modelos mais fiáveis são criados e mais dados existem disponíveis. Na década de 70 era divulgado pelos media que estaríamos à beira de uma nova idade do gelo, o que demonstra bem que as teorias sobre a evolução climática a médio/longo prazo variam tanto como o próprio clima.

Dou o meu pequeno contributo e aqui deixo outra versão dos factos. Depois, como sempre, cada qual fará os seus juízos. Era interessante que nas escolas, ao mostrarem o documentário do Al Gore, também mostrassem este.

O documentário está dividido em 8 partes ordenadas na seguinte playlist. Esta versão está em inglês, mas é a que recomendo pela superior qualidade.

Para quem preferir em português (do Brasil) mas numa tradução não muito cuidada e com pior qualidade de imagem, aqui está a alternativa, também em 8 partes ordenadas numa playlist.

Finalmente chegou! Água desidratada.

Após muitos anos de pesquisa, chegou finalmente a água desidratada.

Basta juntar água!

À venda nas melhores casas da especialidade.

28 de janeiro de 2010

Campo electromagnético gerado por uma carga oscilante

Esta animação permite visualizar o campo eléctrico e magnético criado por uma carga eléctrica oscilante. Gera-se desta forma uma onda electromagnética que se auto propaga, visto que a variação do campo eléctrico induz um campo magnético que, ao variar, induz um campo eléctrico. Há uma auto-sustentação dos dois campos.

A sua existência foi postulada por James Clerk Maxwell e confirmada experimentalmente por Heinrich Hertz.

 

8 de janeiro de 2010

Planetas e estrelas representados à escala (II)

Este vídeo, tecnicamente muito bem conseguido, mostra o tamanho relativo dos planetas do Sistema Solar, bem como entre o nosso Sol e outras estrelas verdadeiramente gigantescas.

Este assunto já foi abordado aqui no Átomo e meio nos posts:

O Universo conhecido

Este filme mostra o Universo conhecido através de observações astronómicas.  

Todos os satélites, luas, planetas, estrelas e galáxias estão à escala e na sua correcta localização, de acordo com os dados actualmente mais correctos.

O seu tratamento é da responsabilidade de astrofísicos do Planetário Hayden, do Museu Americano de História Natural, no projecto Atlas digital do Universo.

Feed Assine o Feed ou receba os artigos por email.

Estão atentos a este blogue....