7 de julho de 2009

O descalabro dos resultados de Física-Química-A

Apesar de todas as facilidades que já mencionei nos posts

Algumas considerações sobre o facilitismo dos exames nacionais – parte 1 (os formulários)

Algumas considerações sobre o facilitismo dos exames nacionais – parte 2 (as calculadoras gráficas),

a média das notas deste ano do exame de Física-Química A foi a mais baixa entre todos os exames realizados, com uns preocupantes 8,4 valores (em 20). Também a percentagem de reprovações a esta disciplina foi a mais elevada, com 24% de alunos a não conseguirem aprovação.

Pode encontrar aqui uma tabela com o resumo de todos os resultados dos últimos 4 anos.

Tal como já disse aqui por inúmeras vezes, a Física e a Química são disciplinas que requerem muito estudo e, principalmente, muito tempo para assimilar os conteúdos, relacioná-los e interligá-los. Tenho pena que muitos alunos (e não só) ainda não o tenham percebido.

Aquilo que descrevi nos dois posts acima mencionados também tem a sua cota de responsabilidade pois, afinal de contas, um aluno que vai fazer um exame de FQ-A, com tanta fórmula dada e com tanta cábula na máquina, acaba por pensar que não precisa de saber nada. Ficam com a ideia que tudo se resume a substituir valores em fórmulas e copiar umas coisas da máquina. Enganam-se!

Também considero que, apesar de tudo o que disse acima, os critérios de correcção adoptados pelo GAVE para os exames de FQ-A e desde a sua implementação, são uma autêntica aberração, o que penso que será facilmente comprovado por quem se der ao trabalho de os analisar.

Tanta coisa a melhorar e a política (com p muito pequenino) sempre a atrapalhar.

Só posso esperar que haja muito mais estudo para quem vai tentar a 2ª fase. Bom trabalho.

Mais dados sobre os exames podem ser lidos aqui, mas com demasiada política (novamente com p muito pequenino) à mistura.

Feed
Gostou? Assine o Feed ou receba os artigos por email

3 comentários:

Miguel Galrinho disse...

Nunca é demais repetir esse tal "p pequeno". Fico também escandalizado com a forma como se transforma a educação em política, questão que não pude deixar de abordar no texto que escrevi hoje, já que foi isso que marcou os comentários da ministra da educação e do secretário de estado.

Cumprimentos

Anónimo disse...

:S ...
O Objectivo é passar todos, e acho mal... Pois assim nunca será reconhecido o mérito a muitas que se esforçam e vêm outros encostados a sombra da bananeira a passar, o que é o meu exemplo... O governo acha que por estar a diminuir o analfabetismo, e que por agora poderem ir descansados as reuniões da União europeia por já não ter alta taxa de analfabetismo isso vai melhorar a imagem do nosso Portugal... Não não vai essa diminuição e uma falsidade imensa. Vê-se reflectido na taxa de emprego... Gente ignorante que pensa por ter o diploma do 12º, ou por ter um curso é alguém na vida...Aposto que o resultado desta falsidade imensa vai ser que os imigrantes que trazem os filhos que estavam no 4º ano de escolaridade aqui passam logo para o 9º ano. é que só pode e não se admirem de vir a acontecer a equivalência de Portugal que á uns anos e hoje ainda é uma da maiores, em relação ao resto do mundo. o que quero dizer é um medico da Ucrânia ou outro pais do leste, que lá era um dos melhores aqui não pode devido ao grau de exigência trabalhar, daqui uns anos é logo aceite...
Eu não vou dizer quem sou mas par ter mais ou menos uma ideia "tem de ser mais humilde" palavras ditar por si a mim... Bem mais ou menos já estou a ser...
Tem de por um artigo sobre a sua bola de basket autografado por mim, á não revele a minha identidade em publico neste blogue ou em qualquer lado pois isso pode ser um perigo para a minha imagem, ainda pensam prai que sou daqueles que na tem mais nada de fazer do que falar de politica, mas já agora gosto muito de politica... :P...

João Sousa disse...

Em que sentido acha que "os critérios de correcção adoptados pelo GAVE para os exames de FQ-A e desde a sua implementação, são uma autêntica aberração," ?
Na minha opinião acho que os alguns critérios são demasiado penalizadores, quando o aluno falha algo, corta tudo. Felizmente este ano as coisas são um pouco diferentes já que eles vão contabilizar mais os passos nos exercícios.

Enviar um comentário

1) Identifique-se.
2) Seja respeitoso e cordial.
3) São bem-vindas críticas construtivas e correcções.
4) Leia primeiro os comentários anteriores.

Feed Assine o Feed ou receba os artigos por email.

Estão atentos a este blogue....